Rio 450 gestos

Tens um gesto que se desdobra:Aquele que reconheço no espanto!Não soltas, nem amarrasEncantas e provocas medoMas presa ao medo e ao lemeTens sorriso curtido de malandroSambas o romantismo do tempo dos poetasE a alvorada dourada da Baía de GuanabaraCorres…Fugidia e fugindo no lamentoDe veias mal tratadasMas, ah, és o Rio!Dos tantos que dormem matutinos pelosContinuar lendo “Rio 450 gestos”