Babel

Minha missãoÉ “incorrer em tautologias”Nasci erradaUso mantras diariamentePor necessidade e prazerNão sei olhar no espelhoQue não seja para ver as rugasQue escalam os fossos do cérebroO azul me enervaPosto que é cor que não se soubePor muito tempoSe uso óculosNão é para melhorar a visãoToda a gente já nasce enxergandoMas esqueceMinhas mãos não me entregamContinuar lendo “Babel”