Biografia

Vanessa Rocha

“Não sei quantas almas tenho” (Fernando Pessoa)

Nasceu em Petrópolis (RJ), em 1980. Escritora, pesquisadora, professora, atriz e produtora artística e cultural, atua no campo das artes, das letras e da cultura desde os 17 anos. Formada primeiro em Teatro, pelo Curso de Formação de Atores da Universidade Federal Fluminense (UFF), graduou-se em Produção Cultural também pela UFF e é Mestra em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ). Em 2008, como bolsista do Ministério da Cultura espanhol, cursou um aperfeiçoamento em Economia da Cultura e Cooperação Internacional na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidad de Valladolid (Espanha). Em 2005, fez curso de Biologia do Conhecer, teoria do neurobiólogo Humberto Maturana. Entre 2006 e 2013 estudou canto com as professoras Sônia Leal e Analu Paredes. Desde 2018, vem se aprofundando nos estudos da Psicologia Analítica de Carl G. Jung no CEDHI (Centro de Estudos e Desenvolvimento Humano Integral). Desde 2002, pratica e estuda o Yoga e a sua base “filosófica”. Suas pesquisas atravessam diversas e complementares áreas como a Psicologia, a Psicanálise, a Filosofia, as Religiões, a Literatura, as Artes e a Comunicação.

Como poeta e escritora, publica seus textos online desde 2006. Em 2020, lançou seu primeiro romance, A Estrada da Saudade, como e-book Kindle pela Amazon-KDP. Em 2007, lançou seu primeiro livro, Novelo, pela Editora Multifoco, coletânea de poemas e contos. O segundo veio em 2013, pela Editora Mundo das Ideias, Poemas em carta e outras poesias. Desenvolve ainda textos para atuação e declamação, tendo entre seus trabalhos uma adaptação para monólogo do clássico de Guimarães Rosa Grande Sertão: Veredas, encenado em 2016 sob direção de Márcio Sanchez, e a criação de textos originais interpretados em espaços como Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Cidade das Artes, Sala Cecília Meireles, entre outros.

Realiza o projeto de poesia falada Reino de Palavras, no palco, em vídeo e como Podcast.

Como produtora artística e cultural, desde 2001 foi responsável pela coordenação e produção de inúmeros projetos nas áreas de música, literatura e pensamento, mas também em cinema, dança, teatro e artes visuais, em espaços culturais do Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Brasília e Belém. Foi fundadora e diretora executiva da empresa de projetos e captação de recursos Trevo Criativo entre 2011 e 2014. Em todos esses anos, foi também responsável pela elaboração de mais de 30 projetos para leis de incentivo e editais culturais. 

Em 2009, passou a atuar no meio orquestral, aprofundando uma experiência que se iniciou em projetos com a Orquestra Sinfônica Nacional entre os anos 2004 e 2006. Expandiu seu universo musical para a ópera, tendo participado de sete produções operísticas. De 2009 a 2011, foi coordenadora da série Música no Fórum, da UFRJ, sob direção artística do pianista Luiz Senise. Em 2013, coordenou o Encontro Internacional de Educação Musical, realizado pela UFRJ e o Ministério da Cultura. Em 2014, foi assistente da direção artística do Cello Encounter, produziu o Festival de Música Antiga da UFRJ e assumiu a direção de produção da Orquestra Sinfônica da UFRJ. Ainda em 2014, fundou, junto aos músicos Felipe Prazeres, Eduardo Pereira e Ivan Zandonade, a inovadora orquestra Johann Sebastian Rio, da qual foi diretora executiva até 2019.

Entre 2007 e 2012, foi professora universitária na Universidade Federal Fluminense (Departamento de Arte) e na Escola Superior de Propaganda e Marketing/ESPM do Rio de Janeiro, período em que colaborou ainda com inúmeros cursos livres de Produção Cultural e realizou palestras sobre Economia Criativa em parceria com a ESPM e a FGV no Rio e em São Paulo.

Como performer e atriz, atuou em montagens de textos de Bertold Brecht, Federico Garcia Lorca e Oswald de Andrade, liderou duas bandas musicais como vocalista e letrista e interpretou inúmeros poemas em saraus e concertos, com foco na literatura em língua portuguesa, com especial atenção à obra de Fernando Pessoa. Também atuou como Riobaldo/Diadorim no monólogo adaptado de Grande Sertão: Veredas.

É criadora da Medicina das Palavras, programa de educação livre que tem como missão promover a saúde das relações humanas através da consciência do poder das palavras.

%d blogueiros gostam disto: