máquina

uma poetisa que assim se nega,
embora seja tão dona das palavras,
então me disse:
encare o coração como uma máquina!
se ele não está funcionando direito
é porque está sobrando ou faltando alguma peça
lembre-se do nosso engenheiro sensacionista

e a ele dedico a minha prece:
ó grande senhor da poesia,
amado mestre,
que ama os navios e as engrenagens
porque eles funcionam,
conceda-me, mestre, a dádiva de também amar assim,
apenas aquilo que funciona como tem que funcionar,
porque hoje, que se dane a poesia, o abraço
e a chuva que cai lá fora pedindo aquele corpo do meu lado.
eu morreria mesmo é triturada por um motor
e não por sua rima

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: